Lição 4º trimestre 2019

Postado quarta-feira, 25 de setembro de 2019 - 13:33:29

Quando Artaxerxes era o rei da Pérsia, um homem chamado Esdras foi da Babilônia para Jerusalém. Ele era descendente de Arão, o Grande Sacerdote. Esdras era um escriba um mestre da lei, um escriba copiava as escrituras e conhecia muito bem a Lei de Moisés dada pelo Eterno, o Deus de Israel. Ele foi falar com o rei Artaxerxes, e este lhe deu tudo o que pediu porque o Eterno abençoava Esdras. Assim Esdras foi da Babilônia para Jerusalém com um grupo de israelitas, entre os quais havia sacerdotes, levitas e músicos, guardas e servidores do templo. 2O rei também mandou que levasse as ofertas de ouro e prata que ele e seus conselheiros queriam dar ao Deus de Israel, também toda prata e ouro que recolheu na Babilônia, e as ofertas que o povo israelita e os sacerdotes deram para o templo do seu Deus em Jerusalém. Esdras também levou utensílios para serem usados no serviço do templo. O rei ainda ofereceu para pagar tudo que precisassem para o templo. Esdras então disse: − Louvado seja o Eterno, o Deus dos nossos antepassados, que pôs no coração do rei o desejo de honrar desta maneira o templo do Deus Eterno, em Jerusalém! Esdras havia dedicado a sua vida a estudar e a praticar a Lei do Deus Eterno e a ensinar todos os seus mandamentos ao povo de Israel. Quando Esdras e os que voltavam com ele chegaram a Jerusalém, ofereceram sacrifícios ao Deus de Israel e as autoridades do rei e os governadores ajudaram o povo e o culto no Templo de Deus. Depois que tudo isso foi feito, alguns líderes do povo de Israel foram falar com Esdras. Eles contaram que o povo, estava desobedecendo a Deus, os sacerdotes e os levitas não tinham ficado separados dos outros povos. Homens israelitas haviam se casado com mulheres estrangeiras, e assim o povo escolhido por Deus tinha se misturado com gente de outros povos. E os chefes e líderes do povo haviam sido os primeiros a cometer esse pecado. Quando Esdras ouviu isso ficou muito triste, rasgou suas roupas, arrancou os seus cabelos e a barba e se sentou, muito desgostoso. Esdras ficou ali sentado muito triste, até a hora do sacrifício da tarde. E o povo começou a se juntar em volta dele. Eram os que estavam com medo. Quando chegou a hora do sacrifício da tarde, Esdras deixou aquela tristeza e se ajoelhou para orar usando ainda as roupas rasgadas. Então levantou as mãos para o Deus Eterno e disse que estava envergonhado por que estavam afundados em seus pecados. Relembrou de todas as vezes que foi bondoso para com os seu antepassados deixando que alguns deles escapassem e vivessem seguros. E agora novamente desobedeceram aos mandamentos de Deus se casando com pessoas que fazem coisas tão nojentas contra Deus. Agora não tinham o direito de ficar na presença de Deus. Enquanto Esdras estava ajoelhado em frente do Templo, orando, chorando e confessando esses pecado, um grande grupo de israelitas – homens, mulheres e crianças se reuniu em volta dele. E eles também choravam amargamente. Então Secanias, disse a Esdras. − Nós pecamos contra o nosso Deus, casando com mulheres estrangeiras de nações pagãs. Agora devemos jurar ao nosso Deus que mandaremos embora essas mulheres e os seus filhos. Nós faremos o que o Senhor e os outros que temem e obedecem ao Deus Eterno nos aconselharem, e o que a Lei de Deus manda. Depois anunciaram em Jerusalém e em Judá que todos os que haviam voltado do cativeiro na Babilônia deviam reunir-se em Jerusalém. Então quando todos estavam reunidos, Esdras os aconselhou dizendo: − Vocês foram infiéis e aumentaram a culpa do povo de Israel por terem se casado com mulheres estrangeiras. Portanto, confessem agora os seus 3pecados ao Eterno, o Deus dos seus antepassados, e façam o que lhe agrada. Afastem-se dos estrangeiros que vivem na nossa terra e mandem embora as mulheres estrangeiras com quem vocês se casaram. E todo o povo respondeu em voz alta: − Sim. Faremos tudo o que o Senhor mandar. Então todos os que tinham mulheres estrangeiras se divorciaram delas e as mandaram embora com os seus filhos. Mas nem todos haviam voltado para Jerusalém, e Hanani, um dos irmãos de Neemias, o copeiro do rei Artaxerxes, foi visitá-lo na Babilônia com um grupo de judeus. Neemias queria muito saber como estava a cidade de Jerusalém. Eles então responderam: − As coisas não estão bem. O povo está sofrendo muito. Os inimigos zombam de nós e dizem que o nosso trabalho é vão, porque como você sabe, os muros de Jerusalém estão derrubados e os portões estão queimados. Até que eles possam ser reconstruídos nem a cidade nem o povo, nem o Templo estão a salvo. Neemias ficou muito triste ao ouvir essas palavras. Orou a Deus pedindo que perdoasse o povo de sua desobediência e que o ajudasse a ser feliz outra vez em sua terra. Mas embora se sentisse muito triste Neemias tinha que trabalhar e um dia se apresentou diante do rei muito triste. O rei ao vê-lo, imediatamente notou que seu servo sentia-se infeliz e lhe perguntou: − O que se passa, Neemias? Por que estás triste? Neemias sentiu medo de falar ao rei que estava desejando ir a Jerusalém, mas respondeu: − Eu me sinto infeliz por causa da minha terra. Eu ouvi dizer que os muros ainda estão derrubados e os portões queimados. Meu povo não está a salvo de seus inimigos. O rei respondeu bondosamente a Neemias: − Que queres que eu faça? − Por favor, deixa-me ir a Jerusalém reconstruiu o muro de minha cidade – implorou ele. O bondoso rei não somente permitiu a Neemias que fosse a Jerusalém, como enviou alguns soldados para protege-lo durante a viagem. Enviou também uma carta ao guarda de suas florestas, dizendo-lhe que desse a Neemias madeiras fortes para a construção dos portões. Uma noite depois de ter chegado a sua cidade, Neemias montado em seu cavalo, percorreu a cidade e olhou para os muros derrubados e portões destruídos. Era muito duro crer que uma vez aquilo tudo tinha sido uma forte e bela muralha ao redor de sua querida cidade. Sim. O muro devia ser reconstruído. Neemias reuniu o povo e disse: − O rei permitiu que eu viesse para ajudar na reconstrução dos muros da cidade. O povo sentiu-se jubiloso: 4− Sim, nós nos uniremos e trabalharemos = responderam todos. Limpar e remover todas aquelas pedras e tijolos velhos, não era coisa fácil. Pior que tudo eram os inimigos Sambalá e Tobias que não desejavam que os muros fossem reconstruídos, ficavam ali perto zombando dos que trabalhavam. − Que é que vocês estão pensando, judeus fracos? Pensam que podem ser um povo poderoso, novamente? – diziam eles – Pensam que podem reconstruiu os muros com essas velhas pedras? Outros diziam: − Se vocês conseguirem reconstruí-lo, será tão fraco que se uma raposa correr sobre ele, o derrubará. Mas Neemias e o povo não davam ouvidos e continuavam a trabalhar com afinco, e oravam a Deus, pedindo ajuda para aquela grande tarefa e colocaram homens para ficar de vigia contra eles de dia e de noite. Mas, ainda aconteceu uma coisa pior. Chegaram mais ini8migos para lutar contra eles e como poderiam se defender, se estavam trabalhando? Mas Neemias e o povo não desanimaram. Oraram a Deus e pediram-Lhe orientação. A seguir Neemias deu a alguns espadas, lanças, e flechas e avisou que ficassem prontos para a luta. Alguns seguravam a arma com uma das mãos e trabalhavam com a outra. Aos que precisavam das duas mãos para o trabalho, ele entregou espadas para que prendessem na roupa. Neemias andava pelo meio dois trabalhadores, encorajando-os e ajudando-os em tudo o que podia, e dizendo: − Se vocês ouvirem o som de minha trombeta, é porque o inimigo se aproxima. Parem o trabalho e corram, se reúnam para a luta. O povo trabalhou dia e noite, durante muito tempo. Que maravilhoso e formidável muro estavam eles construindo! Um muro que seria capaz de os conservar longe do perigo, de proteger o tempo de Deus. Quando Sambalá e Tobias, os inimigos do povo de Deus, viram que eles não desistiam mesmo do trabalho, chamaram Neemias e lhe disseram: − Vamos conversar um pouco. Vamos nos reunir e nos tornar amigos. Mas Neemias não confiava neles. Ele sabia que podia fazer alguma coisa para prejudica-los. Talvez o matassem ou o prendessem e enviou uma mensagem: − Eu estou muito ocupado, realizando um grande trabalho. Não tenho tempo para conversar com vocês. Quatro vezes mandaram o mesmo recado, tentando amedrontar Neemias. Mas ele não se incomodou e com o povo continuou a trabalhar. Finalmente, num belo dia, o muro ficou pronto. Os portões eram fortes e os tijolos e as pedras bem assentadas. Trabalhando juntos, e confiando em Deus, o povo conseguiu por em segurança a cidade e o templo.

Se quiser saber mais sobre a historia, busca na Bíblia os livros de Esdras e Neemias.


Logo da Igreja MSC Adventistas Igreja Adventista do Sétimo Dia, Missão Sul de Luanda e Cabinda

0 - Comentários

Deixe o seu comentário!